Pare TKCSA: ativistas denunciam violações de direitos em assembleia de acionistas da ThyssenKrupp

piquiá santa cruz 015

TKCSA

ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico aumentou em 76% a emissão de CO2 no Rio de Janeiro e é denunciada por diversas violações de direitos ambientais, sociais e trabalhistas. Foto: arquivo Pacs

 

Nesta sexta-feira (29), acontece a Assembleia anual dos acionistas da ThyssenKrupp, em Bochum, na Alemanha. Na ocasião, o ativista Christian Russau (Kobra – Kooperation Brasilien) e a antropóloga Délia Hollowell entregarão aos diretores da empresa uma carta da Campanha Pare Tkcsa em que os moradores de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, exigem imediata reparação pelas violações cometidas pela siderúrgica. Entre as denúncias estão o adoecimento ocasionado pela chuva de prata e a interrupção da pesca na região.

 

dragagens

Imagem de arquivo traz reportagem do Jornal O Globo sobre o impacto da obra de construção da siderúrgica na pesca da região. Desde então, os pescadores da Baía de Sepetiba vêm sofrendo com a diminuição da pesca e a violação do direito de ir e vir. Veja mais informações na linha do tempo: paretkcsa.org.br

 

Concomitante à entrega da carta, a Campanha permanente #PareTKCSA lança uma plataforma multimídia que reúne conteúdo exclusivo sobre o tema em pesquisas, vídeos e reportagens. A página contém ainda uma linha do tempo com os fatos mais relevantes dos 10 anos de resistência às violações cometidas pela siderúrgica que funciona desde 2005 sem licença de operação. A TKCSA, que tem a Vale como uma das principais acionistas, carrega uma série de denúncias trabalhistas, ambientais e sociais.

Ainda durante as obras de construção, o Ministério Público Federal abriu inquérito para investigar o desmatamento de Mata Atlântica não devidamente licenciado pelo IBAMA. O Ministério Público do Trabalho também instaurou inquérito para apurar denúncias de violações de direitos trabalhistas. Quando a operação da usina começou, em 2010, foi a vez do Ministério Público Estadual investigar a empresa após episódios de emissão de partículas prateadas na atmosfera dos arredores, fenômeno conhecido como Chuva de Prata.

A reportagem “Reta João XXIII: vida nas franjas do desenvolvimento nacional”,disponível na página da campanha, aprofunda tais denúncias e relata o cotidiano de quem convive com a siderúrgica. Ainda na página, poderá ser acessado o filme Treliça, documentário inédito filmado em Santa Cruz no final de 2015. Para acessar a carta denúncia da campanha e todo o conteúdo multimídia visite a nova página: paretkcsa.org.br.

 

Dez anos de resistência

Junto a outros movimentos e entidades (que assinam a carta-manifesto), o Pacs acompanha a resistência dos moradores e moradoras de Santa Cruz desde a implantação da siderúrgica e vem denunciando as violações cometidas pela empresa através da produção de pesquisas, do acompanhamento de audiências públicas, da denúncia junto aos órgãos competentes, dentre outras ações. Para saber mais sobre nossas atividades, acesse: pacs.org.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>